top of page
  • Foto do escritorSilvio Ricardo FREIRE -Adv.

Encceja e a Remição de Pena.

1. A Remição de Pena no Ordenamento Jurídico Brasileiro


A remição de pena é fundamentada na Lei de Execução Penal (Lei nº 7.210/1984) do Brasil. O artigo 126 desta lei estabelece que o condenado que cumpre a pena em regime fechado ou semiaberto pode remir, a cada 12 horas de frequência escolar, um dia de pena. Além disso, o artigo 126-A, incluído pela Lei nº 12.433/2011, permite a remição de pena pela aprovação em exames de certificação de ensino fundamental ou médio realizados por instituição credenciada pelo sistema estadual de ensino.


2. Encceja como Exame de Certificação para Remição de Pena


O Encceja é uma prova aplicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) com o objetivo de avaliar as competências e habilidades de jovens e adultos que não concluíram seus estudos na idade apropriada. O Encceja oferece a oportunidade de obtenção de certificados de ensino fundamental e médio.


De acordo com o artigo 126-A da Lei de Execução Penal, a aprovação no Encceja pode ser utilizada como meio de remição de pena. Nesse sentido, o condenado que participa do exame e obtém êxito na avaliação pode ter parte de sua pena reduzida, conforme os critérios estabelecidos na lei.


3. Aspectos Práticos e Benefícios


A possibilidade de utilizar o Encceja como instrumento de remição de pena traz consigo diversos benefícios. Primeiramente, ela incentiva a educação e a formação escolar dos apenados, permitindo-lhes obter certificações que podem ser úteis para a reintegração social e a busca por oportunidades no mercado de trabalho após o cumprimento da pena.


Além disso, a remição de pena através do Encceja contribui para a redução do tempo de encarceramento, aliviando o sistema prisional e proporcionando uma alternativa para a ressocialização dos condenados. A educação é um fator chave na diminuição da reincidência criminal, e a participação no Encceja pode ser vista como um passo positivo nessa direção.


4. Limitações e Desafios


Apesar dos benefícios, é importante reconhecer que nem todos os apenados têm acesso igualitário à educação e à preparação para o Encceja. Questões como a disponibilidade de materiais de estudo, a capacidade de acesso à informação e a qualidade do ensino nas unidades prisionais podem influenciar a participação e o desempenho dos condenados no exame.


Além disso, a remição de pena pelo Encceja não deve ser vista como uma solução única para os problemas do sistema prisional. Ela deve ser complementada por outras medidas de ressocialização e reinserção social, visando promover a dignidade humana e a reintegração efetiva dos apenados na sociedade.


5. Conclusão


O uso do Encceja como instrumento de remição de pena representa uma importante oportunidade para a promoção da educação, da reintegração social e da ressocialização dos condenados. Ao permitir a obtenção de certificados de ensino fundamental e médio, essa possibilidade contribui para a formação dos apenados e para a redução da pena, incentivando uma participação mais ativa na vida educacional e social. No entanto, é fundamental que o acesso igualitário à educação e a qualidade do ensino nas prisões sejam garantidos, para que essa medida seja verdadeiramente eficaz no contexto do sistema prisional brasileiro.



4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

 “Overcharging”” No Processo Penal Brasileiro.

No contexto do processo penal brasileiro, o termo "“overcharging”" refere-se à prática de imputar ao acusado mais crimes ou acusações do que os fatos realmente justificam. Esta estratégia é frequentem

bottom of page